Estudo Bíblico - Descobrindo a Bíblia

Neste Estudos Bíblico com 26 lições totalmente ilustradas, você surpreenderá com as verdades tão claras que a Bíblia nos revela.

No final de cada lição você terá os link's para outras lições deste Estudo Bíblico ou CLIQUE AQUI para ir para a página Inicial deste Estudo.



MENU INICIAL
ESTUDO ANTERIOR PRÓXIMO CAPÍTULO

Capítulo 12 - Um Salvador Sempre Presente.
Jesus Nosso Advogado perante Deus, intercede por nos no Ceu.

Quando um rapaz escocês de nome Peter se perdeu num terreno abandonado de mato alto numa noite escura, Deus o chamou pelo nome: "Peter!" Quando a voz celestial chamou de novo, Peter parou em seu caminho, olhou para baixo, e descobriu que estava a um passo de cair numa pedreira de calcário abandonada.

Não seria maravilhoso se pudéssemos ouvir a voz de Deus nos chamando pelo nome? Não seria ótimo se Ele fosse uma companhia tão próxima que pudéssemos nos sentar juntos e conversar longamente sobre nossas lutas e sonhos?

1. ACESSO ILIMITADO A JESUS

Acredite se quiser, mas podemos nos aproximar mais de Jesus agora do que quando Ele vivia entre nós como uma pessoa visível. Ter a Cristo em carne e osso em nossa cidade seria maravilhoso, é claro, mas pense nas imensas multidões se acotovelando para se aproximarem dEle. Pense em quanto tempo seria necessário para atender a todos. Talvez, o máximo que conseguiríamos em toda a nossa vida seria alguns minutos de conversa face a face.

Cristo deseja cultivar um relacionamento pessoal com cada um de nós. Essa é uma razão pela qual Ele deixou esse planeta para exercer um ministério especial no céu. Esse ministério permitiria que Ele se aproximasse de nós a cada dia. Por não ser limitado a um lugar apenas como Ele era quando estava aqui na terra, através do Espírito Santo, Jesus está próximo o suficiente para guiar a vida de qualquer pessoa que deseje isso.

Que promessa encorajadora Jesus fez pouco antes de subir aos céus?

"E EU ESTAREI SEMPRE COM VOCÊS, até o fim dos tempos". Mateus 28:20 (A não ser quando indicado, todos os textos bíblicos da série DESCOBERTAS BÍBLICAS são da Nova Versão Internacional da Bíblia [NVI].).

O que está Cristo fazendo no céu que possibilita que Ele esteja sempre conosco?

"Portanto, visto que TEMOS UM GRANDE SUMO SACERDOTE que adentrou os céus, JESUS, O FILHO DE DEUS, apeguemo-nos com toda firmeza à fé que professamos, pois não temos um sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas, mas sim alguém que, como nós, passou por todo tipo de tentação, porém sem pecado. Assim, aproximemo-nos do trono da graça com toda a confiança, a fim de recebermos misericórdia e encontrarmos graça que nos ajude no momento da necessidade". Hebreus 4:14-16

Veja as garantias de ter a Jesus como nosso representante especial no céu: "Como nós, passou por todo tipo de tentação"; "compadecer-se de nossas fraquezas"; "nos ajude no momento da necessidade". Com Jesus como nosso Sumo Sacerdote não somos mais cortados de um céu distante; Cristo pode nos levar à própria presença de Deus. Não é de admirar que somos instados a nos aproximar "do trono da graça com toda a confiança".

Que lugar Jesus ocupa no céu?

"Mas quando este sacerdote [Jesus] acabou de oferecer, para sempre, um único sacrifício pelos pecados, assentou-se À DIREITA DE DEUS". Hebreus 10:12

O Cristo vivo - alguém que nos entende - é nosso representante pessoal no trono "à direita de Deus".

Como a vida de Jesus O preparou para ser nosso sacerdote?

"Por essa razão era necessário que Ele se tornasse semelhante a seus IRMÃOS em todos os aspectos para se tornar sumo sacerdote misericordioso e fiel com relação a Deus e fazer propiciação pelos pecados do povo. Porque, tendo em vista o que ele mesmo sofreu quando tentado, ELE É CAPAZ DE SOCORRER aqueles que também estão sendo tentados". Hebreus 2:17, 18.

Nosso "Irmão" que partilha nossa humanidade e foi "tentado" como nós, é agora nosso Sumo Sacerdote à direita do Pai. Semelhante a nós, Ele entende o nosso sofrimento. Ele já esteve faminto e sedento, já foi tentado e já ficou exausto. Ele já sentiu necessidade de simpatia e compreensão.

Mas, acima de tudo, Jesus está qualificado para ser nosso Sumo Sacerdote porque Ele morreu para "fazer propiciação" por nossos pecados. Ele pagou o preço por nossos pecados ao morrer em nosso lugar. Esse é o evangelho, as Boas Novas para todos os seres humanos em todos o lugares e para sempre.

Um de nossos diretores de Escola Bíblica partilhou conosco essa experiência: "Quando a nossa filha mais nova tinha três anos, ela prendeu seu dedo numa cadeira de balanço, quebrando o osso. Ao corrermos com ela para o médico, seus gritos de dor rasgavam nossos corações. E eles também tocaram de maneira especial o coração de nossa filha de cinco anos. Nunca me esquecerei de suas palavras depois que o médico tinha terminado de cuidar do ferimento de sua irmã. Ela, soluçando, disse: 'Papai, gostaria que isso tivesse acontecido com o meu dedo!'".

Quando toda humanidade foi machucada pelo pecado e condenada a morrer eternamente, Jesus disse: "Pai, eu gostaria que tivesse acontecido comigo". E o Pai concedeu esse desejo a Jesus, quando este morreu na cruz. Nosso Salvador conhece cada agonia que temos sofrido - e muito mais!

2. O EVANGELHO NO NOVO TESTAMENTO

Quando o povo de Israel acampou no pé do Monte Sinai, Deus instruiu Moisés a construir um santuário portátil para adoração, "segundo o modelo que lhe foi mostrado no monte". (Êxodo 25:40). Aproximadamente 500 anos depois, o grande templo de pedra do Rei Salomão substituiu o santuário portátil. E o templo foi construído precisamente com o mesmo modelo usado para o santuário portátil.

Quando Deus deu a Moisés as instruções para construir o santuário, que propósito específico Ele tinha em mente?

"E farão um santuário para mim, e EU HABITAREI NO MEIO DELES". Êxodo 25:8

O pecado causou uma separação trágica entre os seres humanos e seu Criador. O santuário foi a maneira encontrada por Deus de mostrar como Ele pode viver novamente conosco. O santuário, e mais tarde o templo, se tornou o centro da vida religiosa e da adoração nos tempos do Velho Testamento. A cada manhã e a cada tarde as pessoas se reuniam ao redor do santuário e entravam em contato com Deus em oração (Lucas 1:9, 10), clamando a promessa de Deus: "Me encontrarei com você" (Êxodo 30:6).

O Velho Testamento ensina o mesmo evangelho da salvação que o Novo Testamento. Ambos retratam a morte de Jesus por nós e o Seu ministério como nosso Sumo Sacerdote no santuário celestial.

3. O MINISTÉRIO DE JESUS POR NÓS REVELADO NO SANTUÁRIO

O santuário e seus serviços revelam o que Jesus está fazendo agora no templo dos céus, e o que Ele está fazendo agora na terra para melhorar e guiar a vida diária de cada um de nós.

Já que o santuário terrestre era padronizado de acordo com o céu, ele reflete o santuário celestial, onde Cristo ministra atualmente. Êxodo 25:40 descreve os serviços e cerimônias do santuário do deserto de forma bem detalhada. Um breve sumário dos móveis do santuário aparece no Novo Testamento:

"Ora a primeira aliança tinha regras para a adoração e também um tabernáculo terreno... Na parte da frente, chamada Lugar Santo, estavam o candelabro, a mesa e os pães da Presença. Por trás do segundo véu havia a parte chamada Santo dos Santos, onde se encontravam o altar de ouro para o incenso e a arca da aliança, totalmente revestida de ouro. Nessa arca estavam... as tábuas da aliança [nas quais Deus escreveu os Dez Mandamentos (Deuteronômio 10:1-5)]. Acima da arca estavam os querubins da Glória, que com sua sombra cobriam a tampa da arca [o propiciatório]". Hebreus 9:1-5

O santuário tinha dois compartimentos: o Lugar Santo e o Lugar Santíssimo. Na frente do santuário encontrava-se um pátio, que continha o altar de holocaustos feito de bronze, no qual os sacerdotes ofereciam sacrifícios, e a pia de bronze, no qual eles se lavavam.

Os sacrifícios oferecidos no altar de holocaustos simbolizavam Jesus, que através de Sua morte na cruz se tornou "o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo!" (João 1:29). Quando o pecador arrependido vinha ao altar com seu sacrifício e confessava seus pecados, ele recebia perdão e purificação. Da mesma maneira, hoje o pecador também recebe perdão e purificação através do sangue de Jesus (I João 1:9).

No primeiro compartimento ou Lugar Santo, o candelabro com sete castiçais queimava continuamente, representando Jesus como a "luz do mundo" que nunca falha (João 8:12). A mesa dos pães da presença simbolizava a satisfação que Cristo dá à nossa fome física e espiritual, pois Ele é o "Pão da Vida" (João 6:35). O altar de incenso representava o ministério da oração de Jesus por nós à presença de Deus (Apocalipse 8:3, 4).

O segundo compartimento, o Lugar Santíssimo, continha a arca da aliança coberta de ouro. Ela simbolizava o trono de Deus. Sua tampa da propiciação representava a intercessão de Cristo, nosso Sumo Sacerdote, em favor dos seres humanos pecadores que quebraram a lei moral de Deus. As duas tábuas de pedra nas quais Deus escreveu os Dez Mandamentos eram mantidas dentro da arca. Querubins de ouro pendiam acima da tampa da arca, de cada lado. Uma gloriosa luz brilhava entre esses dois querubins, e isso era um símbolo da presença visível de Deus.

Uma cortina escondia a visão do Lugar Santo dos sacerdotes que ministravam às pessoas no pátio. Uma segunda cortina na frente do Lugar Santíssimo evitava o contato dos sacerdotes que entravam no primeiro compartimento do santuário com esse lugar mais interno.

Quando Jesus morreu na cruz, o que aconteceu com a cortina?

"Naquele momento, o véu do santuário rasgou-se em duas partes, de alto a baixo". Mateus 27:51

O Lugar Santíssimo ficou exposto quando Jesus morreu. Depois da morte de Jesus, não há nenhuma cortina que possa ser colocada entre um Deus santo e um crente sincero; Jesus, nosso Sumo Sacerdote, nos introduz na presença de Deus (Hebreus 10:19-22). Temos acesso à sala do trono do céu porque Jesus é nosso Sumo Sacerdote à direita de Deus. Jesus nos capacita a vir à presença de Deus, ao coração de amor do Pai. Por isso, aproximemo-nos sem temor.

4. UMA REVELAÇÃO ACERCA DA MORTE DE CRISTO PARA NOS SALVAR

Da mesma forma que o santuário terrestre servia como maquete do templo celestial onde Jesus agora ministra por nós, os serviços efetuados no santuário terrestre eram "cópia e sombra daquele que está nos céus" (Hebreus 8:5). Mas, há uma diferença marcante: os sacerdotes que serviam no templo terrestre não podiam perdoar por si mesmos os pecados, mas a cruz de Jesus "apareceu uma vez por todas no fim dos tempos para aniquilar o pecado mediante o sacrifício de si mesmo". (Hebreus 9:26)

O livro de Levítico, no Velho Testamento, descreve em detalhe os serviços efetuados no santuário. Os ritos cerimoniais eram divididos em duas partes: os serviços diários e os serviços anuais (A Lição 13 trata dos serviços anuais).

Nos serviços diários, os sacerdotes ofereciam sacrifícios pelo indivíduo e por toda a congregação. Quando uma pessoa pecava, ele trazia um animal sem defeitos como oferta pelo pecado. Colocava "a mão sobre a cabeça do animal da oferta pelo pecado, que... [seria] morto no lugar dos holocaustos". (Levítico 4:29). A culpa do pecador precisava ser transferida para o animal sem defeitos através da confissão do pecado e da imposição de mãos. Isso simbolizava o ato de Cristo de tomar nossa culpa no Calvário; onde o que era sem pecado se fez pecado por nós (II Coríntios 5:21). O animal a ser sacrificado tinha de ser morto e seu sangue derramado, pois apontava para o preço final que Cristo teria de sofrer na cruz.

5. PRA QUE O SANGUE?

"Sem derramamento de sangue não há perdão" (Hebreus 9:22). O que acontecia no santuário do Velho Testamento apontava para o futuro, para o grande ato de salvação feito por Cristo. Ao morrer por nossos pecados, Ele "por Seu próprio sangue,... entrou no Santo dos Santos, de uma vez por todas, e obteve eterna redenção" por nós (verso 12). Quando o sangue de Jesus foi derramado na cruz, "o véu do santuário rasgou-se em duas partes, de alto a baixo" (Mateus 27:51). Por causa do sacrifício de Jesus na cruz, os sacrifícios de animais não eram mais necessários.

Quando Jesus derramou Seu sangue na cruz, Ele estava oferecendo Sua vida perfeita como substituta por nossos pecados. Quando o Pai e o Filho se separaram no Calvário, o Pai virou o rosto em angústia e o Filho morreu com o coração partido. Deus o Filho entrou na História para tomar sobre Si toda a maldição do pecado e para demonstrar o quão trágico é a maldade. Com isso, Ele poderia perdoar os pecadores sem contemporizar com o pecado. Cristo estabeleceu "a paz pelo Seu sangue derramado na cruz" (Colossenses 1:20).

6. UMA REVELAÇÃO ACERCA DO TRABALHO DE JESUS

Qual é o trabalho diário de Jesus no templo celestial?

"Portanto, Ele é capaz de salvar definitivamente aqueles que, por meio dele, aproximam-se de Deus, pois VIVE SEMPRE A INTERCEDER POR ELES". (Hebreus 7:25).

Jesus agora vive para apresentar Seu Sangue, Seu sacrifício, em nosso favor. Ele está trabalhando agora de maneira diligente para salvar a cada ser humano da tragédia do pecado. Alguns de maneira errônea assumem que, como nosso Intercessor, Jesus está no céu suplicando a um Deus relutante que sejamos perdoados. Na verdade, é Deus que alegremente aceita o sacrifício de Seu filho em nosso favor.

Como nosso Sumo Sacerdote no céu, Cristo também apela para a humanidade. Ele trabalha para ajudar os que estão indiferentes a prestarem mais atenção à graça, para ajudar pecadores desesperados a encontrarem esperança no evangelho, e para ajudar os crentes a encontrarem mais riquezas na Palavra de Deus e mais poder na oração. Jesus está moldando nossa vida de acordo com os mandamentos de Deus e nos ajudando a desenvolver um caráter que suportará o teste do tempo.

Deus entregou Sua vida em favor de cada pessoa que já viveu nesse mundo. E agora, como nosso Sumo Sacerdote ou Mediador, "Ele vive sempre" para levar pessoas a aceitarem Sua morte por Seus pecados. Apesar de haver reconciliado consigo na cruz o mundo caído, Ele ainda não pode nos salvar a não ser que aceitemos Sua graça. As pessoas não se perderão por serem pecadoras, mas porque se recusaram a aceitar o perdão que Jesus oferece.

O pecado destruiu o relacionamento íntimo que Adão e Eva tinham com Deus. Mas Jesus, o Cordeiro de Deus, morreu para libertar toda a humanidade do pecado e restaurar esse companheirismo perdido. Você já descobriu Jesus como seu Sumo Sacerdote, Aquele que vive sempre para manter esse relacionamento íntimo e vibrante?

A morte sacrifical de Cristo é totalmente única. O ministério celestial de Cristo é incomparável. Apenas Cristo traz Deus para ficar perto de nós. Apenas Cristo torna possível para o divino Espírito habitar verdadeiramente em nosso coração. Ele esvaziou-se de tudo a fim de nos tornar completos. Ele merece um comprometimento parecido da nossa parte. Vamos aceitá-lO por completo, como nosso Salvador e Mestre de nossa vida.


17513-Copyright © 2004 The Voice of Prophecy Radio Broadcast
Los Angeles, California, U.S.A.

ABAIXO O ÍNDICE COM AS OUTRAS LIÇÕES DESTE ESTUDO BÍBLICO

Capítulo 01 Podemos Crer em Deus?
Capítulo 02 Podemos Crer na Bíblia?
Capítulo 03 Minha Vida tem alguma importância para Deus?
Capítulo 04 Um plano para sua vida
Capítulo 05 A ponte para uma vida satisfatória
Capítulo 06 Uma segunda chance na vida
Capítulo 07 Descobrindo seu futuro
Capítulo 08 Jesus Virá Buscar Você
Capítulo 09 O Lar no Céu
Capítulo 10 Quando Virá Jesus?
Capítulo 11 Verdadeiro poder na vida
Capítulo 12 Um Salvador Sempre Presente
Capítulo 13 O Perdão de Deus
Capítulo 14 O Segredo da Oração Respondida
Capítulo 15

O Segredo da Felicidade

Capítulo 16 O Verdadeiro Descanso
Capítulo 17 Testemunhar para Crescer
Capítulo 18 Um Estilo de Vida Saudável
Capítulo 19 Iniciando uma Vida Cristã
Capítulo 20 A Igreja de Cristo
Capítulo 21 Será que a maioria pode estar errada?
Capítulo 22 Deus é Justo?
Capítulo 23 O que é e onde é o inferno?
Capítulo 24 O que acontece quando uma pessoa morre?
Capítulo 25 Como Encontrar a Igreja Verdadeira?
Capítulo 26 A Mensagem de Deus para nossos dias


Programas Evangelicos Mensagens Evangelicas